Onde foram parar nossas asas? por DÔRA ARAÚJO

"Onde foram parar nossas asas?" é uma ação criada pela artista visual Dôra Araújo, a convite do Mixed Mercadilho no Lálá, cujos objetos artísticos evocam o carnaval que bate à nossa porta, inclusive este é o mês de aniversário da artista.
Suas criações costumam dissertar sobre um tema muito explorado por artistas do mundo inteiro: natureza. Nesta ação utiliza-se de pássaros como veículo de conexão entre o público e a natureza que lhes falta: um lugar de grandes voos.
Foi em Hélio Oiticica, "...o espectador veste a obra e a obra ganha vida através dele, é capacidade de auto-criação, de expansão das sensações e rompimento.", a referência base para realizar o presente projeto. 

Sobre este trabalho ela afirma, "recebi a proposta para realizar esta ação como um presente de aniversário, pois sempre tive vontade de criar máscaras em algum projeto, só que resolvi trabalhar com bandanas, uma referência ao chacra frontal, o chacra do Terceiro Olho. Está intimamente ligado à nossa intuição, também chamada de visão interior. Nada mais oportuno, pois estamos adentrando na era de aquário, o tempo de despertar. ;-)

Detalhe: uma das obras será sorteada no final do evento!!!

Saiba mais sobre a artista:

Dôra Araújo é Graduada pela Escola de Belas Artes (UFBA), designer gráfica (pós graduada pela UNIFACS), fotógrafa e fashion designer crochê. 
Trabalha com diversos materiais, como linhas, tecidos, miçangas, espelhos, galhos de poda, etc., e a fusão de técnicas distintas, como crochê, desenho, bordado e pintura, para a construção das suas estruturas orgânicas. 
De uma maneira geral sua produção artística representa a falta de conexão entre o homem e a natureza mais a ausência de rituais que possibilitem esta consciência, ao mesmo tempo que celebra os poucos espaços naturais existentes numa cidade que cresce sem se preocupar tanto com o tema. A base de sua criação está no pequeno jardim que cultiva em sua residência. Temas como transformação, espiritualidade, impermanência, são reflexões constantes na feitura das obras, e é o que representam em essência.
As influências são infinitas e de linguagens distintas, mas atualmente é com artistas têxteis e escultores contemporâneos, que têm a natureza como fonte de inspiração, a conexão maior. Alguns artistas: Toshiko Horiuchi, Ruth Asawa, Nick Cave e Joana Vasconcelos.
Há 3 anos vem trabalhando com moda utilizando-se da técnica do crochê para a execução de sua produção. Há dois anos desenvolve peças exclusivas para as revistas de moda em crochê de uma das maiores indústrias têxteis do país, a Círculo S/A, que também é patrocinadora do trabalho que desenvolve em artes visuais. Em 2016 passou a ministrar oficinas de técnicas artesanais (crochê, tear e bordado) em Universidades e Escolas Municipais e em 2017 pretende dar continuidade a projetos como estes.


Links: